terça-feira, 15 de julho de 2008

34- AUTO-HEMOTERAPIA: SANGUE QUE CURA

AUTO-HEMOTERAPIA: SANGUE QUE CURA


O tratamento é antigo e simples. Foi empregado pela primeira vez em 1911, mas o auge da utilização ocorreu na década de 1940, quando passou a ser aproveitado para evitar doenças infecciosas. Os avanços médicos ofuscaram este método, porém, hoje, ele acena com a possibilidade de ser novamente posto em prática. Denominada auto-hemoterapia, a técnica consiste em retirar sangue de uma veia e injetá-lo nos músculos dos braços ou nádegas. Os defensores garantem que o processo aumenta a defesa do organismo.


“É uma técnica simples em que, mediante a retirada de sangue da veia e aplicação no músculo, se estimula o aumento dos macrófagos, que fazem a limpeza de tudo do organismo, das bactérias, dos vírus, das células cancerosas (chamadas de neoplásicas), fazem uma limpeza total. Elimina, inclusive, a fibrina, que é o sangue coagulado”. Assim, o clínico geral Luiz Moura, 81, explica, no DVD “Auto-hemoterapia: contribuição para a saúde”, como funciona a auto-hemoterapia, conduta que ele aplica há mais de 20 anos e que faz questão de divulgar pelo país.

O sangue é retirado no momento em que será aplicado no paciente e não recebe nenhum tratamento. A quantidade de sangue a ser aplicada depende da doença que deve ser tratada e pode variar de 5 mililitros a 20 mililitros. Cada braço só pode receber até 5 mililitros e cada nádega até 10 mililitros, segundo Luiz Moura. Quando o organismo recebe o sangue no músculo, o reconhece como um corpo estranho que é rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (conjunto de células que ajudam na formação do sangue e também nos mecanismos de defesa). Com isso, aumenta a produção dos macrófagos que tem taxa normal de 5% e, com a aplicação, sobre para 22% sua presença no organismo. Esta taxa mais alta permanece por cinco dias e começa a declinar novamente para os 5%, por isso, deve-se fazer uma nova aplicação após uma semana.

Um dos pioneiros na aplicação da auto-hemoterapia em Recife, o clínico geral Marcos Paiva, 60, revela que faz o tratamento em seus pacientes na sua clínica, a Saúde Center, em Água Fria. “Já venho com isso há mais ou menos quatro meses. O resultado, na prática, é excelente. Em alguns casos, como alergias e processos infecciosos, como acne, ela cura, em outras ela melhora as defesas orgânicas, pelo aumento dos macrófagos”, explica.

O médico recifense conta ainda que já conseguiu excelentes resultados. “Há dois meses recebi um paciente que tinha indicação da amputação de um dedo pois a pele estava necrosada. Depois de conversar com a família dele iniciei o tratamento com a auto-hemoterapia e fazendo curativos no dedo. Depois de dois meses dei alta a ele sem precisar amputar o dedo. Outro paciente meu tinha cirrose hepática em altíssimo grau. Além de alguns medicamentos, usei a auto-hemoterapia para aumentar suas defesas. Ele não andava nem 10 metros e agora anda até de bicicleta”, revela.

Paciente de Marcos Paiva, o advogado Marcus Vinícius, 47, diz que se curou de um princípio de artrite com as aplicações.
Não conseguia fechar completamente três dedos da mão, mas nem me importava com isso. Comecei a auto-hemoterapia como prevenção e, de repente, percebi que já fechava a mão normalmente. Minha mulher se curou de uma tosse alérgica e minha sogra das dores que ela sentia pelo corpo”.


Cynthia Morato e Wagner Sarmento: http://www.folhape.com.br/folhape/materia.asp?data_edicao=12/01/2007&mat=26806

VEJA O VÍDEO SOBRE AUTOHEMOTERAPIA


Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...