sábado, 19 de junho de 2010

224- O QUE SÃO ESSÊNCIAS FLORAIS


As essências florais são uma quinta essência alquímica, facilitando o diálogo entre a alma humana e alma da natureza. São um presente de amor do reino vegetal para apoiar os seres humanos na sua jornada de transformação e evolução.

Podemos considerar as essências florais como remédios vibracionais. Embora as plantas das quais são extraídas possuam em sua estrutura princípios fitoterápicos ativos, muitos deles amplamente conhecidos, esses princípios não são encontrados nas essências.

As essências florais contêm os “padrões energéticos” da planta – mas precisamente das flores - que são transferidos para a água através da energia do sol (método solar) ou no caso de algumas espécies de flores, através da energia do fogo (método "boiling").

A ação dos florais não se dá por uma intervenção física ou química direta em nosso corpo físico e sim por uma ação bioenergética. As essências florais atuam através dos vários campos de energias sutis, os quais por sua vez influenciam o bem-estar mental, emocional e físico. Leia mais em A Ação Bioenergética Dos Florais.

A ação das essências florais pode ser comparada aos efeitos que experimentamos ao ouvir uma peça musical particularmente emocionante ou ao contemplar uma inspirada obra de arte. As ondas luminosas ou sonoras que chegam aos nossos sentidos podem evocar sentimentos profundos em nossa alma, os quais indiretamente afetam nossa respiração, ritmo da pulsação e outros estados físicos. Esses padrões não nos causam impacto pela intervenção física ou química direta em nosso corpo. Ao contrário, é o contorno e o arranjo da luz ou do som que despertam em nossa alma uma experiência semelhante àquela que nasceu dentro da alma do criador da forma musical ou artística.

Esse é o fenômeno da ressonância, tal como acontece quando uma corda de guitarra soa ao ser entoada uma nota correspondente. De modo similar, a estrutura e a forma específicas das forças vitais transmitidas por cada essência floral fazem ressoar, e despertam, qualidades particulares na alma humana.

Outro exemplo que pode ser útil para entendermos a ressonância vibracional das essências florais provém da holografia. Uma fotografia holográfica consiste em padrões de interferência de ondas luminosas, e qualquer parte deles contém informações sobre o todo e pode ser usada para recriar a imagem tridimensional original.

Assim, podemos descrever a água que contém as flores como sendo a receptora de uma espécie de impressão holográfica das qualidades essenciais da planta. Cada gota dessa água contém a configuração completa do arquétipo da planta. Ao diluirmos a essência floral, atenuamos a substância física da infusão de modo que ela deixa de ser bioquimicamente significativa. Entretanto, toda a "mensagem" etérica da essência da planta permanece nas poucas gotas, altamente diluídas, que introduzimos em nosso corpo. "

SOBRE O USO CURATIVO DAS FLORES

Embora a aplicação das essências florais tenha sido introduzida no século passado pelo médico e pesquisador inglês Dr. Edward Bach mais precisamente na década de 30, a utilização das flores com propósitos medicinais é muito antiga.

Textos de algumas escolas esotéricas (Teosófica e Antroposófica), abordam com detalhes o uso de essências extraídas das flores por antigas civilizações como a Atlântida e a Lemuria. Registros do uso curativo das flores também são encontrados em diversas culturas, principalmente na egípcia. Leia mais em “O Uso Curativo das Plantas Através da História”.

As propriedades curativas das gotas de orvalho sobre determinadas plantas eram conhecidas por druidas, alquimistas, sacerdotes-curadores, por xamãs e curandeiros indígenas, há muitos séculos.

A partir das suas pesquisas o Dr Bach resgatou parte desse antigo conhecimento a respeito das propriedades curativas das flores. Ele pesquisou e catalogou 38 tipos de flores silvestres – criando o primeiro sistema de essências florais:Os Florais de Bach do Sistema Inglês.

NOTAS

*VIBRAÇÃO - Quando falamos em vibração, estamos usando simplesmente um sinônimo de freqüência. A matéria que vibra numa freqüência muito lenta é chamada de matéria física. Aquela que vibra em velocidades maiores que a luz é chamada de matéria sutil. A matéria sutil é tão real quanto a matéria densa: sua taxa vibratória é simplesmente mais rápida. No inicio do século XX, quando Einstein apresentou ao mundo a sua equação E=mc2, ele provou aos cientistas que energia e matéria são duas manifestações diferentes da mesma energia universal.

*SISTEMA BIOENERGÉTICO - Não se trata de um conceito meramente esotérico a constatação de que campos energéticos permeiam e afetam a matéria. Esse conceito – além de já ser conhecido pelos chineses e hindus há milênios - tem sido um princípio fundamental da teoria da Física há mais de um século.
Dentro desse conceito, admite–se a existência de camadas energéticas, que chamamos de aura, de centros de forças chamados chacras, canais por onde flui a energia, denominados nádis, além de meridianos e pontos de acupuntura. Leia mais em sobre ANATOMIA SUTIL em Toques Vibracionais.

COMO SÃO PREPARADAS AS ESSENCIAS FLORAIS
Em geral, as essências florais são preparadas a partir de uma infusão solar de flores silvestres ou flores intactas de jardim em um recipiente com água, que é posteriormente diluída, potencializada e conservada em conhaque. A preparação com qualidade requer uma cuidadosa atenção à pureza do ambiente, à vibração e potência das flores, às condições celestes e meteorológicas, e um estudo sensível das propriedades físicas e energéticas da planta ao longo dos seus ciclos de crescimento.

PREPARAÇÃO PELO METODO SOLAR
Coloca-se as pétalas das flores cobrindo a superfície de uma cuba de cristal, cheia de água mineral pura da fonte. As flores devem ser colhidas com as gotas de orvalho na aurroa do amanhecer e ficar em exposição ao sol por três horas. As flores devem ser colhidas na época em que estão no auge da floração, em dia claro e ensolarado. A água energizada é filtrada e misturada com brandy (que atua como conservante) na proporção de 50%. A esta diluição de 50% damos o nome de tintura mãe.

METODO DE FERVURA (Boiling)
Coloca-se as pétalas de flores, com folhas e alguns pedaços de ramos, em uma panela de inox, ágata ou vidro temperado com cerca de ¾ de água mineral pura da fonte. Não pode ser utilizado nenhum material que, ao ferver, libere ferro, alumínio ou outras substancias.
Este conteúdo é fervido por um período de mais ou menos 30 minutos. Depois da fervura, o conteúdo é filtrado e misturado com brandy na proporção de 50 %, da mesma forma que no método solar.


A TERAPIA FLORAL E A MEDICINA DA ALMA

De uma maneira simbólica, as essências florais são “a experiência” da planta em sua jornada evolutiva, e nos crescemos em percepção e consciência quando fazemos uso delas.

O Dr. Edward Bach, criador da terapia floral reavaliou os conceitos de doença e cura, e foi o pioneiro na compreensão da relação das emoções com a saúde do corpo e da psique. Isso ocorreu várias décadas antes que a maioria dos médicos contemporâneos começasse a se interessar pelo tema. Segundo ele, a doença (ou o desequilíbrio) surge quando perdemos a conexão com a nossa alma. Com nosso verdadeiro propósito de vida.

Como Bach explicou em sua obra Heal Thyself (Cura-te a ti mesmo), a doença é uma mensagem para mudarmos. Uma oportunidade para tomarmos consciência das nossas imperfeições e para aprendermos as lições da vida, de modo a podermos cumprir melhor nosso verdadeiro destino.

No âmago de toda a doença está o conflito entre o Eu Superior e a Personalidade e nunca será erradicada sem que haja um grande esforço mental e espiritual no sentido do nosso autoconhecimento e da nossa evolução.

Segundo suas próprias palavras:

“... toda a alma encarnada está aqui com o propósito especifico de ganhar experiência, compreensão e aprimoramento (...) a menos que essa missão seja cumprida, ainda que de forma inconsciente, haverá inevitavelmente um conflito entre a alma e a personalidade do individuo, acarretando doenças físicas...”.

“O sentimento do medo, através do seu efeito depressor sobre a atividade mental, provoca desarmonia nos nossos corpos físico e magnético e abre caminho para a invasão bacteriana. A verdadeira causa da doença está na nossa personalidade...”.

"As verdadeiras doenças básicas do ser humano são defeitos tais como o orgulho, a crueldade, o ódio, o egoísmo, a ignorância, a indecisão e a avidez".

Bach utilizou os remédios florais não apenas para tratar reações emocionais às doenças como também os temperamentos que favorecem o surgimento de patologias celulares no corpo físico.

Os florais, portanto, não são apenas “gotinhas mágicas” ou “anestésicos emocionais”. Ao contrário. As essências florais agem como catalisadores de uma percepção mais consciente e transformadora das causas dos nossos conflitos. Harmonizam estados mentais, emocionais, energéticos e conseqüentemente físicos que estejam em desequilíbrio.

São tonificantes das nossas forças anímicas, permitindo-nos aprender e crescer com os desafios da vida. Elas nos convidam a uma jornada de cura, e podem ser nossas aliadas e guias ao longo do caminho. As essências não pretendem eliminar sem dor os nossos problemas, nem oferecer gratificação instantânea. Tal expectativa leva inevitavelmente à impaciência, desilusão, passividade ou desapontamento. E, o que é mais importante, resulta na falta de disponibilidade da pessoa em se tornar um participante ativo no seu próprio processo de cura.

Como catalisadores internos, as essências florais estimulam nossa capacidade de responder, ou de assumir a responsabilidade pelo nosso crescimento, pois aprofundam a percepção consciente de nossos sentimentos, de nossas atitudes subjacentes e de nosso Eu espiritual.

Além de nos conectar com específicas energias curadoras de determinadas flores, as essências evocam o Manto Curador de Natura, da Natureza como um ser vivo. Vivenciaremos então como a Natureza pode nos nutrir e proteger, e como nossa própria cura é inseparável do respeito e cuidado que temos pelo ser Terra. Desse modo, a alma individual encontra uma conexão com a Anima Mundis, a alma do mundo, a alma da Natureza.

Quando a terapia floral é conduzida até seu pleno desenvolvimento, o Eu Espiritual torna-se o princípio organizador central na vida da alma. Assim como o Sol irradia sua luz nas muitas dimensões da vida anímica, a percepção consciente do Eu dá contexto e significado aos outros níveis do desenvolvimento anímico, os quais abrangem as nossas emoções, a relação com o corpo, a sintonia com a Natureza, a vocação e propósito na vida, bem como a vida interior, o desenvolvimento da criatividade, os relacionamentos pessoais e a Lei de Causa e Efeito que nos rege.

Então chegamos à percepção de que o despertar do centro espiritual dentro de nós, bem como sua expressão em todos os aspectos da nossa vida, é a verdadeira meta da terapia floral. Enquanto estamos vivos nesta Terra, nossa alma sempre enfrentará desafios e sempre terá a necessidade de aprender e evoluir na escola da vida. Se enxergarmos as essências florais como catalisadores do crescimento da alma, e não como remédios que solucionam nossos problemas, elas sempre terão a possibilidade de nos ajudar, permanecendo como preciosas aliadas através dos muitos ciclos e espirais da evolução da nossa alma.

Possíveis efeitos colaterais

Há perigos ou efeitos colaterais associados ao uso das essências? Em geral, as essências florais estão entre os mais seguros e auto-reguladores de todos os remédios disponíveis. Se tomarmos essências que são totalmente inapropriadas e têm pouca relação com as nossas verdadeiras questões, nesse caso sentiremos pouco efeito.

As essências florais atuam por ressonância; assim, essências erradas não farão vibrar nenhuma "nota" em nossa alma. Se tomarmos um número excessivo de essências ou essências que só tratam questões menores, então elas podem ser ineficazes; não conseguiremos mudanças substantivas ou estas demorarão muito mais tempo para ocorrer.

Às vezes, seleções inadequadas ou caóticas de essências estimulam a confusão ou uma sensação de desconforto. É possível que demasiadas questões sejam "revolvidas" ou que a mudança aconteça mais rápido do que a pessoa pode tolerar. Há ocasiões em que a rápida transformação psicológica - ou nossa resistência a ela - pode produzir sensações físicas desagradáveis, como fadiga, erupções cutâneas ou dor de cabeça. Tais reações geralmente duram pouco e podem ser uma indicação para que se reformule a combinação floral ou se trabalhe com aconselhamento e outras práticas a fim de remover quaisquer impedimentos psicológicos ao processo terapêutico.

A crise de conscientização

Uma experiência comum relatada por pessoas que usam as essências florais é a intensificação de certas características antes de a transformação ser vivenciada. Por exemplo, uma pessoa que está tomando a essência Willow devido ao ressentimento talvez tenha uma aguda percepção consciente desse ressentimento, antes de ser capaz de largá-lo e perdoar. Essa piora aparente de uma característica emocional é semelhante à "agravação" produzida por um remédio homeopático ou a "crise de cura" estimulada por práticas de purificação tais como o jejum.

Podemos chamar esse fenômeno de crise de conscientização, ou crise de percepção consciente, pois ele é causado pela vinda, à superfície da percepção consciente, das emoções e atitudes inconscientes. Já que antes estavam ocultas ou eram desconhecidas, essas qualidades parecem mais intensas quando trazidas à consciência. Tais experiências nos oferecem uma clara oportunidade de testemunhar e reconhecer os aspectos negativos ou disfuncionais de nós mesmos.

O apoio de um aconselhador, a auto-reflexão, a manutenção de um diário e outros meios de fortalecimento do aspecto "observador" da consciência podem ajudar a criar uma jornada mais suave através das águas às vezes agitadas dessa experiência.
Se a crise de percepção consciente tornar-se demasiadamente intensa (além de um nível saudável de desconforto), caso a pessoa pode reduzir a freqüência da dosagem ou mudar a seleção de essências florais para facilitar o processo.

Junto com a percepção consciente vem a capacidade de compreender e de mudar. É difícil deixar ir o ressentimento e perdoar, se a pessoa não tem consciência dele ou nega ter qualquer ressentimento. Se a autopercepção consciente já está sendo cultivada, com freqüência a crise de percepção consciente não se faz necessária; é mais provável que a pessoa passe diretamente para o estágio transformativo do processo floral.

Por: Irene do Carmo Pimenta
http://boaspraticasfarmaceuticas.blogspot.com
*********
Lena Rodriguez
Terapia Floral On Line - e-terapia
Cuide bem de você...

Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...