quinta-feira, 4 de abril de 2013

Psicotrópicos: Psiquiatria - O Marketing da Loucura – 1: A história.



Visite o site da CCHR (http://www.cchr.pt).
 
Capítulo 1: Introdução

Os psiquiatras dizem-nos que a forma de resolver comportamentos indesejáveis é alterando a química cerebral com um comprimido.

Mas ao contrário de um medicamento comum como a insulina, os medicamentos psicotrópicos não têm uma doença alvo mensurável para tratar, e podem transtornar o equilíbrio delicado dos processos químicos que o corpo precisa para funcionar bem.

Não obstante, os psiquiatras e as companhias farmacêuticas têm usado estes medicamentos para criar um mercado enorme e lucrativo.

E eles têm feito isto nomeando cada vez mais comportamentos indesejáveis como "perturbações médicas" que requerem medicação psiquiátrica.

Mas será que estas realmente se deviam chamar doenças?

A questão é portanto:

Como é que os medicamentos psicotrópicos, sem uma doença alvo, sem poderes curativos conhecidos e uma lista longa e extensa de efeitos secundários, se transformam no tratamento indicado para todo o tipo de distúrbios psicológicos?

E como é que os psiquiatras que apoiam estes medicamentos conseguiram dominar o campo do tratamento mental?


Veja também:

Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 2: Psicotrópicos - A história


Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 3: Os que são a favor diga sim, DSM


Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 4: Vender doenças


Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 5: Psicotrópicos sob teste 


Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 6: Serviço de Vigilãncia: Desaparecido em Combate

Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 7: Marketing a Médicos: A venda fácil

Psiquiatria - O Marketing da Loucura - 8: Os Psicotrópicos e os Meios de Comunicação Social

________

www.cuidebemdevoce.comCuide bem de você...

Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...