domingo, 29 de dezembro de 2013

A dieta do doutor Barcellos contra o CÂNCER e todas as ALERGIAS

Raul Barcellos foi um médico carioca que passou metade da vida demonstrando clinicamente que os sintomas do câncer podem ser combatidos com dieta e eliminação dos vermes.

UM RESUMO DO QUE ELE EXPLICA

O câncer pode ser causado por uma série de fatores, genéticos ou adquiridos. Os genéticos se devem a um problema qualquer nos genes, unidades hereditárias situadas no cromossomo que determinam as características do indivíduo e que estão sendo estudadas agora. Os fatores adquiridos vêm da radiação (de todos os tipos, inclusive solar), da poluição química do ar, da água e do solo, dos campos eletromagnéticos à nossa volta, do estresse, que provoca excesso de oxidação no organismo, da comida, da bebida, das drogas - da vida, enfim.


Dr. Barcellos
Existem basicamente quatro tipos de câncer: carcinomas, sarcomas, linfomas e leucemia. Carcinomas surgem na pele, nas membranas mucosas, nas glândulas e na maioria dos órgãos; sarcomas surgem nos ossos, músculos e tecidos conectivos; linfomas são a forma de câncer do sistema linfático; e leucemia é o câncer do sangue. Dentro desses quatro tipos há mais de cem variedades de câncer.

Mas todo câncer começa pequenininho. Uma turminha de células destrambelhadas escapa de ser vista e comida pelo sistema imunológico, e como células adoram se multiplicar, elas crescem e se multiplicam, formando um tecido anormal. Falta a elas a intervenção do sistema imunológico, e falta também uma parte do código genético que diz ao tecido quando ele deve parar de crescer. Por exemplo, um osso: o tecido ósseo sabe a forma exata daquele osso. Todos os dias ele se refaz do mesmo jeito. Isso porque cada célula carrega dentro de si o código genético apropriado dentro de uma molécula minúscula chamada DNA, ou ácido desoxirribonucléico.

Faz parte também da sapiência da célula a coleta de nutrientes na corrente sangüínea, e entre esses nutrientes estão os aminoácidos, que se agrupam em combinações diferentes para formar proteínas. Existem cerca de 500 tipos de proteínas pesquisadas, e todas derivam de alguma combinação entre os vinte e poucos aminoácidos conhecidos. Elas participam de absolutamente tudo na vida orgânica, inclusive de processos hormonais, enzimáticos e genéticos; mas sua principal função é formar tecidos. Osso é tecido, sangue é tecido, cabelo é tecido, assim como pele, membrana mucosa, unha, músculo, tendão, nervo. A proteína forma a trama e os outros nutrientes a preenchem. O sangue vai passando com a matéria-prima e as células de cada tipo de tecido - inclusive do sangue e da linfa - vão recolhendo aquilo de que precisam para sua renovação, ao mesmo tempo que jogam de volta à corrente sangüínea aminoácidos e outras substâncias que estiverem sobrando, numa espécie de respiração celular.

No caso do câncer, segundo a teoria do Dr. Barcellos, as células desvairadas recolhem do sangue justamente os aminoácidos que vão ajudá-las a crescer em delírio. Por isso, só tem um jeito: jejum nelas. A dieta vai alimentar o corpo, mas não o tumor - já que, na ausência daqueles aminoácidos, seu padrão de crescimento não consegue se manter. Começa uma regressão, que ao mesmo tempo é a degeneração do tecido canceroso, e isso aumenta a descarga de resíduos tóxicos no sangue. Daí a importância que o Dr. Barcellos dá à desintoxicação.

NÃO PODE:
leite e laticínios, como queijo, coalhada, requeijão e receitas que levam leite (pode manteiga, porque é gordura, não tem proteína);
feijão de qualquer tipo, inclusive ervilha, lentilha, grão-de-bico, vagem, feijão-verde, soja e seus subprodutos, broto de feijão;
tubérculos: batata-inglesa, batata-doce, batata-baroa (mandioquinha), cará, inhame, aipim/mandioca (e farinha de mandioca);
carnes de porco, lagosta, camarão (e talvez outros invertebrados do mar, como polvo, lula, marisco);
aveia, abacate, castanha portuguesa, vitamina C sintética.
 
PARA DESINTOXICAR

Três cápsulas diárias de 200 mg de metionina, que se encontra em farmácias de manipulação, para tomar com as refeições.

Metionina e cisteína são aminoácidos que contêm enxofre, e enxofre é desintoxicante do fígado e dos rins. Tiamina e biotina, que são vitaminas, também têm enxofre. Metionina se encontra em ovo de galinha, leite humano e de vaca*, carne de boi; enxofre em couve, couve-de-bruxelas, brócolis, repolho, espinafre, nabo, couve-flor com as folhas, todos cozidos e em porções generosas, e no agrião cru; biotina em fígado de galinha, fígado de boi, gema de ovo, e tiamina (vitamina B1) em pinhões, farinha de trigo-sarraceno integral, farinha de trigo integral, farinha de soja*, quinua, quefir, levedo de cerveja, sementes de girassol, milho verde, germe de trigo. A absorção de biotina e tiamina é impedida ou reduzida na presença de álcool, avidina (proteína da clara crua do ovo), cafeína, sulfa, oxidação.

(*alimentos proibidos na dieta do Dr. Barcellos.)

O caldo de alga kombu é muito valorizado por seu alto teor desintoxicante, nutritivo, regulador da flora intestinal, bom contra hipertensão arterial. Mas para obter o melhor sabor não se deve ferver a alga, já que o calor faz com que os polissacarídeos se desmanchem e liberem substâncias desagradáveis ao paladar. Basta deixar a alga de molho em água limpa, fria, durante duas horas, para obter um extrato contendo quantidades importantes de manitol, iodo, cálcio, magnésio e ácido sulfúrico. A alga é então retirada e usada em refogados rápidos, ou simplesmente cortada e temperada com shoyu, ou serve para enrolar bolinhos, ou volta para a própria sopa, etc. O caldo, complementado com macarrão e vegetais previamente cozidos, deve ser aquecido somente até o ponto anterior à fervura. Missô (massa salgada de soja, gostosa e nutritiva) é o tempero tradicional desse caldo; como é proibido na dieta do dr. Barcellos, use um pouquinho de sal.

O suco de aloe vera (um tipo de babosa) também é grande desintoxicante dos intestinos, do fígado e dos rins.


SOBRE OS VERMES


Os vermes entram no organismo o tempo todo pelas mãos, água, beijos e alimentos contaminados. Se tiverem permissão para ficar, vão se reproduzindo, avançam pelas correntes sanguínea e linfática e alojam-se em centros vitais, como coração, fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, olhos e cérebro. Podem produzir constipação, diarréia, gases, flatulência, síndrome do cólon irritável, dores musculares e articulares, problemas de pele, distúrbios do sono, fadiga crônica e quadros graves de convulsões, vertigens, cefaléias, pseudomeningites, anemia profunda, gastrite crônica, gripes, resfriados, sinusites, alergias e disfunções imunológicas em geral. Muitas doenças podem ser diagnosticadas equivocadamente quando o médico não conhece a sintomatologia das parasitoses.

O Dr. Barcellos ressalta a capacidade dos vermes em provocar lesões e deficiência nos vários tecidos do organismo, oferecendo ambiente propício à formação das neoplasias malignas. Vermes destroem células mais rápido do que elas conseguem se regenerar; liberam toxinas que danificam os tecidos e as células, produzindo dores e inflamações; com o tempo deprimem e exaurem o sistema imunológico. O Dr. Barcellos destaca os helmintos cestóides (tênias solium, saginata e nana), as lombrigas (ascaris lumbricoides), o oxiúro vermicular e a triquina.

A cientista canadense Dra. Hulda Clark diz que 100% dos pacientes de câncer têm vermes, sobretudo um helminto trematóide chamado facíola (fasciolopsis buskii), que se aloja no fígado. *


ALIMENTOS CONTRA OS VERMES

HORTALIÇAS

ABÓBORA (Cucurbita moschata)

Sementes tostadas no forno combatem os vermes, principalmente a tênia. As sementes devem ser frescas, sem a pele, moídas e misturadas com mel.
 
ALHO (Allium sativum)
Três a quatro dentes por dia. Em doses elevadas, o alho pode produzir cefaléia, gastralgia, vômito, tontura, diarréia e cólica intestinal. É contra-indicado (quando ingerido em grande quantidade) para mães que amamentam, porque pode provocar cólicas intestinais nos bebês. Também é contra-indicado para pressão baixa. O cheiro é combatido comendo salsa crua ou bebendo suco de limão com igual quantidade de água meia hora antes da ingestão do alho.
 
CEBOLA (Allium cepa)
Fazer o suco e misturar a uma pequena quantidade de mel. Tomar 1 colher de sobremesa uma vez ao dia em jejum.
 
CENOURA (Daucus carota)
Ralar uma quantidade de cenoura suficiente para encher um pires, misturar com alho picado e um pouco de erva-doce e ingerir pela manhã em jejum, durante 3 a 5 dias.

CHICÓRIA (Chicorium endivia)
Tomar 3 a 5 xícaras de chá ao dia.

COUVE (Brassica oleracea acephala)
Suco, várias colheres de sopa por dia.

HORTELÃ-PIMENTA (Mentha piperita)
Chá por infusão, 1 xícara em jejum, diariamente por uma semana.

MAXIXE (Curcumis anguris)
Fruto ao natural, em saladas cruas.

RABANETE (Raphanus sativus)
Sementes, em chá por decocção, 3 a 5 vezes por dia.


FRUTAS

ABACAXI (Ananas sativus)
Ao natural ou em sucos, várias vezes ao dia.

AMÊNDOA (Amygdalus communis)
Dez amêndoas em jejum

AMORA (Morus nigra, Morus alba)
Casca da raiz, chá por infusão 3 a 5 vezes ao dia.

AZEITONA (Olea europea)
Folhas e casca do tronco, chá por infusão 3 a 5 vezes ao dia.

CIDRA (Citrus medica)
Chá por infusão das sementes ligeiramente tostadas e moídas, juntamente com sementes de outros cítricos. 1 xícara pela manhã, em jejum.

COCO (Cocos nucifera)
1 colher das de sopa de coco verde ralado, diariamente em jejum.

FIGO (Ficus carica)
Folhas e talos, suco diluído em igual quantidade de água, 2 colheres das de sopa em jejum, durante 1 semana.

MAMÃO (Carica papaya)
Látex do fruto – leite que se obtém ao se cortar o mamão. Pegue 20 gramas, dilua em uma xícara de água, adoce com mel e tome em jejum pela manhã.

PÊSSEGO (Prumus persica)
Flores, chá por infusão, 1 xícara 3 a 5 vezes ao dia.

PITANGA (Stenocalyx pitanga)

Folhas, chá por decocção, 1 xícara 3 a 4 vezes ao dia.

ROMÃ (Punica granatum)
Casca do tronco - chá por decocção, um copo pequeno de 3 em 3 horas, durante alguns dias.

SAPOTI (Achras sapota)
Casca do tronco, chá por decocção, 1 xícara 3 a 4 vezes ao dia.

TAMARINDO (Tamarindus indica)
Folhas, chá por decocção - 1 xícara 3 vezes ao dia.


ERVAS MEDICINAIS

AGRIÃO (Nasturtium officinale)

Folhas e talos, suco, 1 xícara das de café duas vezes ao dia.

ARTEMÍSIA (Artemisia vulgaris)
Folhas e raízes. Chá por infusão, 15 gramas em 1 litro de água, tomado aos goles durante o dia.

BELDROEGA (Portulaca oleracea)
Sementes - comidas em jejum ou preparadas sob a forma de chá por decocção, 50g a 100g para 1 litro de água.

CARQUEJA (Baccharis trimera)
Planta toda - chá por infusão ou decocção, 3 a 5 vezes ao dia. Nos casos de diabetes faz diminuir o açúcar do sangue, até sua completa normalização.

ERVA DE SANTA MARIA (Chenopodium ambrosioides)
Folhas, flores e sementes. Chá por infusão, 10g em 1 litro de água. Tomar 1 colher das de sopa de hora em hora, por 1 a 3 dias. Após tomar essa infusão, ingerir 2 ou mais colheres das de sopa de óleo de rícino. Deve ser empregada com cautela, pois em doses excessivas é muito tóxica.

LOSNA (Artemisia absinthium)
Chá por infusão, 20 g de losna para 1 litro de água, tomando-se 2 colheres das de sopa de hora em hora. Jamais usar o suco da losna, pois é altamente tóxico ao natural. A infusão elimina parte desse efeito. O uso excessivo pode produzir efeitos neurotóxicos, com perturbações da consciência e convulsões.

PICÃO (Bidens pilosa)
Folhas. Chá por infusão ou decocção, 3 a 5 vezes ao dia.


Infusão
É quando se põe a água quase fervendo sobre as folhas, abafando e esperando 10 a 15 minutos para tomar.

Decocção
É quando se ferve durante quinze minutos, ou mais, as cascas, sementes e raízes da planta.

Texto adaptado de http://correcotia.com/cancer/index.html
______________

 
Segundo, a Dra. Hulda Clark tem que haver um novo entendimento na definição de saúde e doença. 

Como bióloga seu estudo se baseia em pesquisas comprovando que a origem de todas as doenças tem como base a exposição do nosso corpo a parasitas (entre os quais inclui parasitas, vermes, bactérias, vírus e fungos) que acabam por colonizá-lo, bem como a contaminação com produtos tóxicos através da exposição ao meio ambiental.

Em seu livro  “A Cura para Todas as Doenças” ela coloca o caminho que percorreu, passando por aparelhos com frequências, por aparelho computadorizado com várias opções de frequências, até chegar ao aparelho com bateria de 9V, que segundo suas pesquisas é o que melhor realiza os objetivos que ele propõe. 

Já conhecido e aceito em vários países desde 1935. Estudiosos como Royal Raymond Rife*  e Hulda Regehr Clark* realizaram estudos e pesquisas nessa linha da Eletroterapia criando seus aparelhos.

- Gerar freqüência de polaridade positiva é a melhor forma de se obter bons resultados em Eletroterapia -

Pelos estudos a voltagem positiva aplicada em qualquer lugar do corpo atrai coisas carregadas negativamente como, por exemplo, uma bactéria.

Por vibrar numa frequência positiva em todos os sentidos, ele permite uma recuperação das frequências dos órgãos colaborando com o retorno do seu funcionamento primordial.

Pela comprovada eficácia da eliminação dos metais pesados e das formas vivas que enfraquecem o Ser, promove o fortalecimento de todo o sistema de defesa. Ajuda o reequilíbrio ácido-base e desta forma os sistemas com a reposição dos minerais voltam a trabalhar perfeitamente.

Um Reequilíbrio que acontece pelo equilíbrio das frequências dos órgãos, recuperação do sistema imunológico, recuperação do processo de captação dos nutrientes e oxigenação das células.

No aparelho Gerador de Frequência a energia é conduzida através de cabos condutores até os eletrodos de cobre.

Os Eletrodos constituem a interface que transmite a corrente elétrica através da pele do paciente nas sessões de eletroterapia. Com isso há uma grande melhora no desenvolvimento físico do paciente.

Os eletrodos são usados em duplas, para que a corrente emitida pelo aparelho passe de um eletrodo para o outro.

Quando a corrente atinge um eletrodo, a energia é então transmitida pelo tecido e irá se propagar através dele até atingir o outro eletrodo-par. Sendo assim a corrente elétrica fica correndo pelos tecidos de um eletrodo ao outro.

Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...