terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Câncer - Método Kovacsik



Palestra sobre o Método Kovacsik para câncer por Daniel Kovacsik da AEMK - www.aemk.com.br.



VIII Congresso Brasileiro de Radiestesia e Radiônica - 6 de novembro de 2011. A palestra fala sobre o Método Kovacsik, o programa "MK para todos" e Ciência sem amor.


VÍDEO




O Câncer dispensa apresentações. É uma doença que pode se tornar muito agressiva e que durante o seu processo de manifestação tende a causar muitas dificuldades nos pacientes e seus familiares. Hoje em dia existem muitas tecnologias que foram desenvolvidas e que têm ajudado a combater o câncer, mas, infelizmente, muitas pessoas ainda continuam a adoecer e milhões de seres humanos pelo mundo ainda morrem por causa dessa doença. Por esse motivo esses pacientes partem em buscar de outras opções e começam a conhecer o mundo das terapias naturais/complementares. E, nesse momento, tomam conhecimento do Método Kovacsik para câncer. Uma teraapia que tem muito a contribuir para essas pessoas.



Quem somos



O Método Kovacsik é uma terapia baseada em captação de energia natural desenvolvida pelo sr. Estevam Kovacsik na década de 1950. O MK apresenta uma abordagem completamente diferente sobre a origem e como tratar essa doença e, ao longo dos anos, já beneficiou milhares de pessoas. Como a teoria é extensa, pedimos a gentileza de visitar nosso site para conhecer mais sobre a teoria e processo terapêutico.




A terapia é aberta ao público desde janeiro de 1960, e foi sempre oferecida de forma voluntária e gratuita, de geração em geração, na família Kovacsik, em sua residência localizada no bairro do Jabaquara, em São Paulo, SP. Em junho de 2008, alguns membros da família se juntaram e criaram uma Associação sem fins lucrativos, que tem como objetivo promover a difusão do conhecimento e acessibilidade da terapia às pessoas que dela precisam e também promover parceria em pesquisa científica.



O trabalho da AEMK é baseado no voluntariado e visa ser gratuito aos pacientes. Hoje, estimamos que existam mais de 1.500 pessoas passando pela terapia. Muitos que tomam conhecimento dessa iniciativa perguntam como é possível manter um trabalho dessa magnitude apenas com voluntários. A resposta é parcialmente simples. Dividimos o trabalho em dois: 1) o trabalho dos Pontos de Atendimento; e 2) o trabalho da AEMK, como gestora do Método Kovacsik. Todos os trabalhadores nos Pontos de Atendimento trabalham de forma voluntária. Isso é possível através do esforço de cada um em dedicar algumas horas de atividades uma vez por semana. Os custos para esta prestação de serviço existem, mas são pequenos e geralmente cobertos pela união dos voluntários. Às vezes, recebem alguma ajuda externa. Já a ação da AEMK é diferente. É um trabalho diário, em horário comercial durante toda a semana, para o qual precisamos de profissionais dedicados a executar suas funções para a manutenção do trabalho, tal como acontece em qualquer outra ONG.



O que precisamos:



O dinheiro a ser arrecadado se destina a:



    - Alugar um imóvel para ser nossa sede;



   - Contratar um funcionário em período comercial;



   - Serviço de telefone e internet;



*Todos os itens são pelo período de um ano.



Por quê?



Apesar de nosso trabalho ser baseado no voluntariado, existe uma estrutura de trabalho, de suporte aos Pontos de Atendimento e aos voluntários, e controle de qualidade que precisamos manter e continuamente ampliar para que as pessoas que vão passar pela terapia possam sempre receber um atendimento de alta excelência. A AEMK necessita de um escritório e funcionários para dar suporte aos mais de 60 PAs já existentes e trabalhar na implementação de muitos outros. Para isso precisamos de local fixo de trabalho, computadores, móveis, água, luz, telefone, ou seja, tudo o que um escritório convencional precisa. A única diferença entre uma ONG e uma empresa comercial é que no final do mês uma ONG não apura lucros. Todo o dinheiro recebido é dedicado ao objetivo social da ONG conforme seu estatuto.



Por muito tempo a AEMK não aceitou doações, pois preferiu estruturar e consolidar o seu trabalho com recursos dos associados fundadores, limitando os gastos aos extremamente necessários. Hoje, tornou-se fundamental para que possamos cumprir com nosso objetivo social. Muitas pessoas pensam: “Não gosto de doar dinheiro – prefiro doar coisas materiais que sejam necessárias”. Este tipo de ajuda é útil e será bem-vinda, mas muitas das despesas de uma ONG precisam de dinheiro para serem pagas. Existe um senso comum em que se entende que ONGs não precisam de dinheiro, pois fazem algo de bom em que acreditam. Este é um pensamento incorreto. Fazemos com o maior amor do mundo e fazemos do jeito que podemos, mas por que fazer da maneira que dá e não da maneira que precisa ser feita? Fazer da maneira que dá geram resultados apenas parciais. Essa não é apenas a realidade da AEMK, é a realidade da maioria das ONGs existentes no Brasil e Exterior.



Em 2013, o Ministério da Justiça conferiu à AEMK o título de OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público. Por isso a AEMK agora deve também prestar contas anualmente para o próprio Ministério da Justiça a fim de manter o título concedido.



Agradecemos a sua colaboração e, com certeza, com ela poderemos estender esse benefício a outras milhares de pessoas pelo Brasil e pelo mundo.



“Só o amor constrói a paz”












Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...