sábado, 14 de fevereiro de 2009

85- Essências-Musicais de Bach - (Johann Sebastian Bach)

Masaru Emoto:
“... Sabemos que a vida humana está conectada diretamente com a qualidade da nossa água, tanto dentro quanto ao redor de nós. Nossos pensamentos afetam tudo em nós e ao nosso redor... Temos evidências factuais de que a energia humana vibracional, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música afetam a estrutura molecular da água, a mesma água que compõe 70% do corpo humano e cobre a mesma porcentagem do nosso planeta...”

Novalis, o poeta e místico do romantismo, que tinha uma aptidão muito desenvolvida para captar todos os inter-relacionamentos, uma afirmação sucinta e lapidar:
“Toda doença é um problema musical.”

Donald Hatch Andrews, autor de Fundamental Chemistry, em aula inaugural da John Hopkins University, faz esta surpreendente declaração:
“Se precisássemos resumir em uma curta frase o sentido do que venho afirmando agora, poderíamos dizer que o universo é constituído não de matéria, mas de música, e esta descoberta dá-nos uma nova orientação para a filosofia da ciência, o que nos força a uma completa mudança de atitude sobre a relação da ciência com a religião (...) O termo música deve ser aqui interpretado como a experiência diária dos átomos. Conseqüentemente, é válido o argumento de que os átomos são feitos de música, de que nós também somos feitos de música e de que todo o universo é, essencialmente, música.”

Em seu livro, “Manual de Harmonia”, Hans Kayser descreve um “banho de acordes” curativo que deveria ser adotado como uma poderosa vertente psicoterapeutica:
“É fato conhecido que, além da fome e do amor, nada mais age profundamente sobre a vida anímica quanto a música. E a idéia de influir sobre a psique humana através do som ── tornando este conceito em seu sentido mais amplo ── está no mínimo extraordinariamente próxima. Um grande campo cheio de possibilidades nem mesmo imaginadas encontra-se sem dúvida aberto para uma psicoterapia racional... Uma hora diária de “banho de acordes” certamente iria curar vários vários colapsos psíquicos mais rapidamente que outros meios, e um mergulho diário na euforia calmante de uma melodia querida poderia fazer maravilhas por uma sistema nervoso arruinado.”

Mosaicos vibracionais acústicos podem ser armazenados na água com um arranjo apropriado de materiais e métodos. A música pode potencialmente “pintar” ou “esculpir” uma “paisagem” sonora na água, criando uma essência musical. E esta “paisagem sonora” pode ser transmitida ao ser humano ou a qualquer outro ser vivo, mediante o uso interno da essência musical, de modo semelhante ao que ocorre com a terapia floral ou com a homeopatia em alta diluição. Podemos considerar esta nova “terapia musical” como uma magnífica ampliação da homeopatia de diluições infinitas de Hahnemann, onde a sucussão mecânica (equivalente à soronidade monótona da batida de um tambor ── música primitiva) é substituída por incríveis e riquíssimas sucussões acústicas provenientes de músicas clássicas.

Após a ingestão da essência musical, a alma “contempla e absorve” internamente esta “obra de audição” em toda a sua fluidez arquetípica. Uma grande celebração musical envolve cada átomo físico e sutil que compõe o nosso ser, impregnando-os com os elementos vibracionais da mais elevada esfera espiritual...

... O caráter de uma alma é um canto e o seu substrato terreno é a água! Com a afinação da alma, por intermédio e ação das músicas mais perfeitas e harmoniosas, muda completamente a música que cada um de nós entoamos pelo mundo.


As asas da alma humana precisam ressoar com a batuta do Maestro Universal.
Fonte: Parte do texto do Livro > As Essências Musicais de Bach




CONTATO > E-mail: liberdadedeser@gmail.com
Lena Rodriguez
Terapeuta Holística Multidisciplinar


Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...