segunda-feira, 11 de agosto de 2008

47- OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE

OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE
( Zingiber officinale, Roscoe)


Atênção: este estudo visa apenas fornecer informações sobre saúde preventiva.

1. Nomenclatura

Nome científico : Zingiber officinale, Roscoe.
Nome tibetano: bca'ega
Nome sânscrito: sunthi (desidratado) andrak (fresco)
Nome popular: gengibre

2. Princípios Ativos

- citral, 1,8-cineol, zingibereno, bisaboleno, geraniol, acetato de geranila,gingeróis,chugaóis, zingiberol, ?-canfeno, ß-felandreno, borneol, linalol,acetatos e caprilatos de zingibero.

- Amido; proteínas; gorduras; princípios amargos; ácidos orgânicos; sais
minerais e resinas.

3. Propriedades medicinais

O gengibre foi introduzido no Brasil no século XVI pelos colonizadores .

Apresenta muitas propriedades medicinais devendo fazer parte da farmácia
natural de todas as residências.

As suas características ayurvédicas podem ser classificadas de acordo com
as seguintes características:

· Rasa (sabor resultante do contato do alimento com a língua) : picante.

· Virya
(propriedade térmica do alimento ao chegar no estômago) : quente.

· Vipak (pós-digestivo) : doce.

O gengibre é quente em potencial, leve e gorduroso. Alivia khapa e vata. Estimula a digestão, alivia a constipação e é um tônico cardíaco.

Faz parte de um grupo de árvores - drogas naturais - chamada tryasuna, que possuem efeitos semelhantes.

Tryasuna é picante e potencialmente quente.

O gengibre na medicina ayurvédica trata obesidade, possui ação na doença asmática, resfriados, slipada (elefantíase) e rinite crônica.

O Dr. Krishna Srivastava, da universidade de Odense, na Dinamarca, pesquisou onze condimentos e descobriu que sete deles tinham efeitos anticoagulante. Os mais potentes foram cravo, gengibre, cominho e açafrão.

O gengibre realmente é um poderoso anticoagulante nos seres humanos, como descobriu Charles R. Dorso, M.D., da Faculdade de Medicina da Cornell University.

O Dr. Dorso relatou que o agente ativo era o gingerol, um componente do gengibre quimicamente semelhante à aspirina.

O gengibre também é um excelente remédio para enjôo ou náuseas e, diferentemente das drogas, não provoca efeitos colaterais, nem sonolência, pois o gengibre não atua através do sistema nervoso. Vários estudos comprovam este fato.

Acrescentar um pouco de gengibre para bloquear os gases produzidos por alguns alimentos como a ervilha, realmente são benéficos. Pesquisadores da universidade G.B. Pant, na Índia, documentaram sua eficácia, após estudarem a ação antiflatulência do gengibre.

Dr. Krisnha C. Srivastava também estudou a ação antiflatulência do gengibre, já que afeta as prostaglandinas (substâncias que ajudam a controlar respostas inflamatórias envolvendo a histamina e a dor)Na verdade, o gengibre funciona de forma bastante semelhante à aspirina, bloqueando a síntese de prostaglandina e levando à redução da inflamação e da dor.

Em estudo feito com um paciente, o mesmo foi orientado a ingerir 500 a 600 mg (aproximadamente um terço de uma colher de chá) de gengibre em pó misturado com água pura. Em 30 minutos percebeu-se o efeito no alívio da dor de cabeça. Nos três ou quatro dias seguintes ela continuou a ingerir o preparado (4x ao dia).

O gengibre tem sido utilizado na Índia há milhares de anos para o tratamento de doenças reumáticas.

Um outro estudo também mostra que o gengibre pode acelerar o metabolismo, queimando calorias e, desta forma, auxiliando no tratamento da obesidade.

De acordo com a Dra. Vinod Verma o pó também pode perder as propriedades farmacêuticas. O gengibre seco conseguido no ocidente não é comparável ao sunthi, pois na Ayurveda existe um método especial para secá-lo.

O gengibre sempre é indicado em programas de desintoxicação.

Dr. Vasant Lad orienta os seguintes cuidados:

· Uma colher de gengibre fresco com uma pitada de sal funciona como aperitivo.

· Tomar lassi com uma pitada de gengibre ou cominho em pó ajuda na digestão.

· Um copo de leite com gengibre tomado antes de dormir é nutritivo e acalma a mente.

· Em caso de febre, é recomendável fazer um jejum com infusão de gengibre(chá).

Indicações:
estimulante gastrintestinal, aperiente, combate os gases intestinais (carminativo), vômitos, rouquidão; tônico e expectorante. Externamente é revulsivo, utilizado em traumatismos e reumatismos.

Parte usada:
Rizoma ("raiz").

Preparo e dosagem:

Pulverizar o rizoma e ingerir contra vômitos.

Decocção: preparar com 1 colher (chá) de raiz triturada em 1 xíc. de chá água, tomar 4 xíc. de chá ao dia.

Cataplasmas: preparar com gengibre bem moído ou ralado e amassado num pano, e deixar no local (para reumatismos e traumatismos na coluna vertebral e articulações).

Rizoma fresco: mascar um pedaço (rouquidão).

Tintura: 100 g do rizoma moído em 0,5 l de álcool, fazer fricções para reumatismos.

Xarope:
pode ser ralado e adicionado a xaropes, juntamente com outras plantas.

Toxicologia:
o uso externo deve ser acompanhado para evitar possíveis queimaduras.


4. Bibliografia


1. Almança, Carlos César Jorden. Formulário de Prescrição Fitoterápica. São Paulo: Editora Atheneu, 2003.
2. Carper, Jean. Alimentos: o melhor remédio para boa saúde. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1995.
3. Dash,Vaidya Bhagwan. Matéria Medica of Indo-Tibetan Medicine. Delhi: Classic Índia Publication, 1987.
4. Lad, Vasant. Ayurveda - La ciência de curarse a uno mismo. Guia prática de medicina ayurvédica.
5 .Panizza, Sylvio. Plantas que curam: cheiro de mato. São Paulo: IBRASA,1997.
6. Verma, Vinod. Ayurveda: a medicina indiana que promove a saúde integral.Rio
de Janeiro: Record: Nova Era, 2003.







Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...