segunda-feira, 6 de abril de 2009

99- Milagre Médico ou Farsa da Saúde?

Ozônio e Peróxido de Hidrogênio na Cura
Por Nathaniel Altman
Autor de Oxygen Healing Therapies



Embora usado por cerca de dez milhões de pacientes na Europa desde o início dos anos 60, o uso terapêutico do ozônio médico e peróxido de hidrogênio (tecnicamente conhecidas como “terapias bio-oxidativas”) é largamente um mistério para os Norte-Americanos. Clamado como um tratamento seguro, efetivo e de baixo custo para um amplo espectro de doenças – incluindo cândida, câncer, problemas do coração e infecções relacionadas com o HIV,- na Europa, os proponentes sentem que eles podem ir longe em resolver a crise de saúde na América. Contudo, médicos que tentaram utilizar estas terapias neste país (EUA) são freqüentemente importunados por sociedades médicas locais e ameaçados com a perda de suas licenças. Como um resultado, a cada ano, centenas de pacientes têm sido forçados a procurar médicos na Alemanha, Rússia e até mesmo Cuba, aonde estas terapias são uma parte aceita da corrente médica oficial. Outros gastam dezenas de milhares de dólares para receber falsas curas de ozônio de praticantes não licenciados aqui e no exterior, que ignoram os protocolos estabelecidos. Muitos terminam suas vidas em pobreza e desespero.

Qual é a verdade por trás das terapias bio-oxidativas?
Serão elas uma panacéia para nossa crise na saúde pública, ou são ozônio e peróxido de hidrogênio ineficazes e até mesmo perigosos à saúde? E a despeito de décadas de sucessos clínicos, por que elas são consideradas “experimentais” e não aprovadas pelo FDA? Nas páginas seguintes, vamos examinar algumas das principais questões sobre as terapias bio-oxidativas e seu papel no quadro da saúde pública humana.

Q: Exatamente o que são as terapias bio-oxidativas?
A: Terapias bio-oxidativas envolvem administrar pequenas quantidades de ozônio e peróxido de hidrogênio diluídos dentro do corpo, para a prevenção e tratamento de doenças. A terapia de ozônio tem sido usada por médicos licenciados na Alemanha desde o começo dos anos 60, enquanto que a terapia com peróxido de hidrogênio foi desenvolvida nos Estados Unidos primariamente pelo Dr. C.H. Farr, nomeado para o prêmio Nobel de medicina de 1993.

Q: Qual é a base científica para as terapias bio-oxidativas?
A: A filosofia por trás das terapias bio-oxidativas é simples. O uso de peróxido de hidrogênio e ozônio na medicina é baseado na crença de que a acumulação de toxinas no corpo é normalmente queimada pelo processo de oxidação, um processo onde uma substância é modificada quimicamente devido ao efeito do oxigênio nela. A Oxidação quebra as toxinas em dióxido de carbono e água, e as elimina do corpo. Porém, se o sistema de oxigênio do corpo estiver fraco ou deficiente (quer seja por falta de exercício, poluição ambiental, dieta pobre, fumo, ou respiração incorreta), nossos corpos não conseguem eliminá-las adequadamente e uma reação tóxica pode ocorrer. Em casos menores, um aumento tóxico pode levar á fadiga, enquanto que um amplo leque de doenças pode surgir quando a oxigenação pobre é crônica.

Q: Estas são consideradas terapias “novas”?
A: Embora poucos de nós tenhamos sequer ouvido falar nelas, terapias bio-oxidativas tem estado por aí há um bom tempo. Elas têm sido utilizadas clinicamente por médicos Europeus por cerca de um século, e foram primeiro relatadas por Dr. T.H. Oliver na publicação médica Britânica The Lancet, em 1921. Desde aquela época, elas têm sido estudadas em principais centros de pesquisa em todo o mundo, incluindo a Baylor University, Universidade Yale, Universidade da Califórnia (Los Angeles) e na Universidade Harvard nos Estados Unidos, assim como em escolas médicas e laboratórios na Grã-Bretanha, Alemanha, Rússia, Canadá, Japão e Cuba. Hoje, entre cinqüenta e cem artigos científicos são publicados a cada mês sobre os efeitos químicos e biológicos do ozônio e peróxido de hidrogênio.

Q: Como eles funcionam?
A: Terapias Bio-Oxidativas são usadas para fornecer ao corpo átomos ativos de oxigênio, oralmente, intravenosamente ou através da pele.
Uma vez no corpo, o peróxido de hidrogênio ou ozônio se decompõe em varias subespécies que entram em contato com os vírus e micróbios anaeróbicos (ex: vírus e micróbios que tenham a habilidade de viver sem ar), assim como células de tecidos doentes ou danificadas. Eles oxidam estas células enquanto deixam as células sadias em paz. Quando o corpo se torna saturado com estas formas especiais de oxigênio, ele atinge um estado de pureza onde os microorganismos da doença são mortos, enquanto a toxidade subjacente é oxidada e eliminada.
De acordo com Frank Shallenberger, M.D., que é mais conhecido nos Estados Unidos por tratar pacientes de AIDS com um protocolo holístico incluindo ozônio, terapias bio-oxidativas afetam o corpo humano nos seguintes modos:

1. Elas estimulam a produção de células brancas no sangue, que são necessárias para combater a infecção.

2. Ozônio e peróxido de hidrogênio são anti-virucidas

3. Eles aumentam a dissociação de oxigênio e hemoglobina, assim aumentando a entrega de oxigênio do sangue para as células.

4. Ozônio e peróxido de hidrogênio são anti-neoplásticos, o que significa que eles inibem o crescimento de novos tecidos como tumores.

5. Elas oxidam e degradam petroquímicas.

6. Elas aumentam a distensibilidade das membranas das células vermelhas, assim aumentando sua flexibilidade e eficácia.

7. Terapias bio-oxidantes aumentam a produção de interferon e o Fator de Necrose de Tumor, que o corpo usa para combater infecções e cânceres.

8. Elas aumentam a eficácia do sistema de enzimas anti-oxidantes, que varrem o excesso de radicais livres no corpo.

9. Elas aceleram o Ciclo do Ácido Cítrico, que é o principal ciclo para a liberação de energia dos Açúcares. Isto então estimula o metabolismo básico. Também dissolve proteínas, carboidratos e gorduras para serem usadas como energia.

10. Terapias Bio-Oxidativas aumentam a oxigenação de tecidos, assim trazendo a melhoria dos pacientes.


Q: O que exatamente é o peróxido de hidrogênio e como ele é usado terapeuticamente?
A: O peróxido de Hidrogênio (H2O2) é feito de dois átomos de hidrogênio e dois átomos de oxigênio. Um poderoso oxidante, peróxido de hidrogênio mata bactérias, vírus e fungos; muitos de nós já usamos uma solução de peróxido de hidrogênio a 3% externamente, para desinfetar feridas. Mais elevadas concentrações de peróxido de hidrogênio são usadas extensivamente nas indústrias de agricultura, alimentos e química, como um desinfetante, purificador de água e agente clareador. É também um ingrediente comum em limpadores de lentes de contato, colírios e enxaguantes bucais.

Peróxido de Hidrogênio está envolvido em todos os processos vitais, e deve estar presente para o sistema imunológico funcionar corretamente. As células no corpo, que combatem infecção (conhecidas como granulócitos) produzem peróxido de hidrogênio como uma primeira linha de defesa contra organismos invasores como parasitas, vírus, bactérias e germes. Ele também é requerido para o metabolismo de proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais. Como um regulador hormonal, peróxido de hidrogênio é necessário para o corpo produzir estrógeno, progesterona e tiroxina; ele também ajuda a regular o açúcar no sangue e a produção de energia nas células. Peróxido de hidrogênio tem sido há muito tempo usado medicinalmente como um desinfetante, anticéptico e oxidante, mas apenas recentemente tem sido descoberto tratar com sucesso de uma ampla variedade de doenças humanas com um mínimo de efeitos colaterais daninhos.

A forma mais comum de terapia com hidróxido de hidrogênio por médicos requer pequenas quantidades de hidrogênio peróxido grau reagente 30% adicionadas à água purificada e administrada como uma injeção intravenosa. Contudo, alguns indivíduos preferem adicionar um copo de peróxido de hidrogênio 35 % Food Grade em uma banheira de água quente; o peróxido de hidrogênio é absorvido no corpo através da pele enquanto a pessoa se banha na banheira.

Outros bebem um copo de água ao qual várias gotas de peróxido de hidrogênio food grade ou reagent grade foram adicionadas. Embora existam relatos de melhoras na saúde com este método, médicos como o Dr. Farr acreditam que tomar peróxido de hidrogênio oralmente pode ter um efeito corrosivo no estomago e pequeno intestino, e aconselha contra isto.

NOTA do autor: nem todos os médicos são da mesma opinião. Alguns realizaram experiências onde os pacientes não apresentaram nenhum dos sintomas corrosivos acima descritos.

Q; Que tipo de doenças podem ser tratadas com ozônio e peróxido de hidrogênio?
A: Terapias Bio-Oxidativas oferecem uma tremenda amplitude de aplicação médica. De acordo com a Fundação Médica Bio-Oxidativa (IBOMF), uma organização baseada em Oklahoma devotada à pesquisa e educação sobre estas terapias, as seguintes condições ou doenças têm sido tratadas com ozônio e peróxido de hidrogênio com vários graus de sucesso:

Doenças do Coração e Vasos Sanguíneos:
• Doença vascular periférica (má circulação)
• Doença Vascular Cerebral (ataque e perda de memória)
• Doença Cardiovascular (doença cardíaca)
• Espasmo das Coronárias (angina)
• Cardio-conversão (parada cardíaca)
• Arritmias cardíacas (irregular batimentos cardíacos)
• Gangrena (dedos das mãos e dos pés)
• Doença de Raynaud ("dedo branco")
• Arterite temporal (inflamação da artéria temporal)
• Dores de cabeça vasculares e cluster

Doenças Pulmonares:
• Doença crônica obstrutiva pulmonar
• Enfisema
• Asma
• Bronquiectase (dilatação de brônquio ou brônquios)
• Pneumocystis carinii (pneumonia relacionadas à PCP ou AIDS)
• Bronquite crônica

Doenças Infecciosas:
• Influenza
• Herpes zoster (shingles)
• Herpes simplex (fever blister)
• Candidiase sistêmica crônica (candida)
• Epstein-Barr virus (Síndrome da Fadiga Crônica)
• Infecções relacionadas ao HIV
• Infecções virais agudas e crônicas
• Infecções bacteriais crônicas não-responsivas
• Infecções por parasitas

Desordens Imunológicas:
• Esclerose Múltipla
• Artrite Reumatóide
• Diabetes mellitus Tipo II
• Reações de Hipersensibilidade (reações ambientais e
universais)

Outras Doenças:
• Doença de Parkinson
• Doença de Alzheimer
• Enxaquecas
• Síndromes de dor crônica (devidas a múltiplas causas)
• Dor de carcinoma mestástico
• Cânceres do sangue e nódulos linfáticos

Q: É verdade que ozônio cura AIDS?
A: Há uma evidência crescente de que o ozônio (assim como peróxido de hidrogênio, desde que ozônio se transforma em peróxido de hidrogênio no corpo) podem destruir vírus envoltos em lipídios, tanto dentro como fora do corpo, incluindo os vírus relacionados coma hepatite, Epstein-Barr, câncer, herpes, citomeglaovirus e HIV. Os resultados de um estudo coordenado pelas Forças Armadas Canadense e publicado no Jornal da Associação Médica Canadense,mostrou que ozônio mata HIV, os vírus de hepatite e herpes, e outros agentes daninhos no sangue usado para transfusão.

O autor do artigo adicionou: “O sistêmico uso do ozônio no tratamento de AIDS poderia não apenas reduzir a quantidade dos vírus, mas também possivelmente revitalizar o sistema imunológico. Embora um estudo relacionado em pacientes de AIDS tenha permanecido inconclusivo, o Cmdr. Michael Shannon, MD, um dos coordenadores do estudo, escreveu que “É de interesse, contudo, os três pacientes (entre dez voluntários) que responderam a uma pequena auto-hemoterapia no primeiro teste, estão ainda vivos após quatro anos do tratamento, com contagens CD4 em excesso de duzentos. Estes pacientes deveriam teoricamente ter sucumbido à AIDS dentro de cerca de um ano após o tratamento.” Em várias clínicas na Alemanha, os pacientes de AIDS estão sendo tratados com sucesso com diferentes tipos de terapias de ozônio, incluindo insuflação retal, sacos de ozônio e auto-hemoterapia.


Nota do Autor: Estes artigos são antigos. Um médico no Quênia obteve resultados muito mais satisfatórios. Em 50 pacientes já terminais de AIDS, 30 entraram em franca recuperação, enquanto que 20 responderam bem ao tratamento com peróxido de hidrogênio.

Terapias Bio-Oxidativas podem ser uma importante parte do tratamento holístico para os problemas relacionados com o HIV, incluindo baixas contagens de células T, infecções oportunistas, e a diarréia da AIDS. Dan era um destes casos. Ele foi diagnostica com HIV positivo e sua contagem de células T tinha caído para abaixo de 600. Após apenas um mês de terapia de ozônio como parte de um protocolo incluindo suplementos de vitaminas, compostos anti-virais e limpeza intestinal, sua contagem de células T subiu para 900 e o inchaço de seus nódulos linfáticos diminuíram pela primeira vez em anos.

Embora tenham ocorrido outros casos de melhorias de pacientes de AIDS após o tratamento regular com ozônio (e vários casos documentados de pessoas que eram HIV + revertendo para HIV-), o ozônio e o peróxido de hidrogênio não deveriam ser considerados como uma panacéia mágica contra o HIV e AIDS. De acordo com Frank Shallenberger, M.D. “ A terapia de ozônio funciona em pacientes de AIDS agindo como um modulador do sistema imunológico. Nesta capacidade, é muito efetiva, segura, barata e prontamente disponível. A correta terapia para AIDS será dirigida à intervenção o mais cedo possível (ex: contagem de CD4 > 300), ozônio, mais outras terapias sinergéticas que aumentem a imunidade, limpeza intestinal é de suma importância devido aos aspectos imunosupressivos dos parasitas.

Nota do autor: o Dr. Nathaniel certamente se esqueceu de mencionar que, para aqueles casos onde o HIV + reverteu para HIV – , eles certamente considerariam o tratamento com ozônio/H2O2 uma panacéia mágica. Obviamente, há muita pesquisa a ser realizada para saber porque nem todos obtiveram este resultado. Provavelmente seus corpos estavam além do ponto de recuperação.

A Dra. Silvia Menendez, a co-fundadora do Departamento do Ozônio de Cuba (parte do prestigiado Centro Nacional Para Pesquisa Científica em Havana), sugeriu que o ozônio funciona melhor quando administrado tão cedo quanto possível após a infecção pelo HIV, antes que o vírus tenha penetrado no sistema linfático e na medula óssea. As ramificações pessoais, econômicas e sociais desta possibilidade não podem ser subestimadas.

Q: Estas terapias são seguras?
A: Embora ozônio e peróxido de hidrogênio sejam extremamente tóxicos em seu estado puro, descobriu-se que eles são ao mesmo tempo seguros e efetivos quando diluídos em níveis terapêuticos para uso médico. Quando administrados nas quantias prescritas por um praticante qualificado, as chances de experimentar reações adversas às terapias bio-oxidativas são extremamente pequenas. Por exemplo, um estudo na Alemanha, em 384.775 pacientes, que avaliou os efeitos colaterais adversos de cerca de cinco milhões de tratamentos administrados por médicos descobriu que a taxa de reações adversas foi de apenas 0.0007 por aplicação. Este número é muito menor do que qualquer outro tipo de terapia médica.

Estima-se que mais de dez milhões de pessoas (principalmente na Alemanha, Rússia e Cuba) tenham recebido terapias bio-oxidantes nos últimos setenta anos para tratar cerca de cinqüenta doenças diferentes. Como citado antes, elas incluem doenças do coração e vasos sanguineos, doenças dos pulmões, doenças infecciosas e desordens do sistema imunológico. Em alguns casos, as terapias biooxidativas são administradas sozinhas, enquanto em outros, elas são usadas em adição aos procedimentos médicos tradicionais (tais como cirurgia ou quimioterapia) ou como adjuntos a práticas alternativas de medicina, como a terapia de megavitaminas, acupuntura e medicina herbal.

Q: Se estas terapias são tão boas, por que não têm sido usadas mais amplamente no Canadá e nos EUA?
A: A despeito do fato de que as terapias de ozônio e peróxido de hidrogênio tenham sido comprovadas em testes clínicos ( e na prática clínica regular) serem seguras e efetivas na Alemanha, Áustria, Cuba, México, Itália e Rússia, muito poucas pessoas já ouviram falar sobre as terapias bio-oxidativas nos EUA e Canadá. Embora cerca de 15.000 praticantes Europeus legalmente utilizem as terapias biooxidativas em suas práticas, o número de médicos usando estas terapias na América do Norte é provavelmente menor do que 500. Isto em parte é devido a que a informação sobre o ozônio e o peróxido de hidrogênio não seja fornecida nas escolas médicas, e os estudantes simplesmente não escutam falar sobre isto. Em adição, o estabelecimento médico ( e especialmente os quadros médicos provincianos e estatais) frequentemente desencorajam ou previnem médicos licenciados de usar estas terapias em suas práticas. Alguns, como o Dr. Robert Atkins, M.D., o autor do popular livro A Revolução da Dieta do Dr. Atkins, foram ameaçados com ter suas licenças revogadas se eles administrassem peróxido de hidrogênio ou ozônio. Clínicas foram fechadas e praticantes foram ameaçados com prisão.

Q: Por que existe tanto preconceito contra estas terapias pelo estabelecimento médico?
A: Uma razão principal por esta falta de interesse nas terapias biooxidantes é que o ozônio e o peróxido de hidrogênio são substâncias não-patenteáveis, que são muito baratas de se fabricar e usar. Na Alemanha, Rússia e Cuba, os médicos trataram com sucesso de muitas condições sérias e crônicas (incluindo câncer e doenças cardíacas) sem cirurgias caras. O custo bruto do material para um tratamento de auto-hemoterapia ou uma infusão médica de peróxido de hidrogênio fica abaixo de $10. Mesmo que os médicos devam incluir taxas profissionais e o uso de seus escritórios e equipamentos, as terapias bio-oxidativas administradas em um estabelecimento médico custa até cinqüenta por cento menos do que as terapias tradicionais, especialmente para pacientes sofrendo de doenças crônicas e degenerativas. Os tratamentos auto-administrados pelos próprios pacientes, embora não recomendável, podem custar muito menos. Por estas razões, ozônio e peróxido de hidrogênio apresentam uma ameaça ao domínio continuado do estabelecimento médico, a indústria farmacêutica, centros médicos e médicos que estão acostumados a fornecer drogas caras, procedimentos médicos complexos e longas estadias em hospitais.

Q: mas por que agências como o FDA e a Saúde e Bem-Estar do Canadá não encorajam testes clínicos destas terapias?
A: Porque as agências de saúde do governo são frequentemente influenciadas pela indústria farmacêutica e lobbies médicos, a investigação objetiva e o desenvolvimento de protocolos efetivos para as terapias bio-oxidativas têm sido difíceis de se realizar. Contudo, o governo Canadense tem mostrado uma vontade maior de investigar estas terapias do que as agências governamentais Americanas, como o FDA ou NIH, como demonstrado pelos estudos com HIV citados antes. Porém, como a imprensa Americana, a mídia Canadense largamente ignora as descobertas importantes de que o ozônio pode remover completamente os vírus do HIV, hepatite e herpes do sangue.

Q: Qual é o futuro das terapias bio-oxidativas?
A: Após rever a evidência laboratorial e clínica com relação ao ozônio e peróxido de hidrogênio, um relatório dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) sobre Sistemas e Práticas Médicas Alternativas nos Estados Unidos recomendou que “estudos definitivos sejam empreendidos para determinar se estes tratamentos possuem qualquer utilidade”. Ao mesmo tempo, um número de estados, incluindo Nova Iorque e Carolina do Norte, recentemente aprovaram leis de “liberdade da medicina” que permitem o uso de terapias experimentais por praticantes licenciados. Muitos médicos que são membros do IBOMF do Canadá e Estados Unidos, estão compartilhando seus dados clínicos com o objetivo de apresentar suas descobertas para agências governamentais como a NIH e FDA.

Ozônio médico e peróxido de hidrogênio formam a última palavra em um novo paradoxo de cura, envolvendo formas de terapia médica seguras, naturais e menos custosas. Conforme mais pessoas descobrem o valor destas terapias, haverá maior demanda do público.

Porque as terapias bio-oxidativas como ozônio e peróxido de hidrogênio contenham uma grande promessa em tratar problemas de saúde menores e maiores, e algumas das mais devastadoras doenças que confrontam a humanidade hoje, incluindo doença cardiovascular, câncer e problemas relacionados ao HIV, com baixo custo, elas podem ajudar a solucionar nossa crise nacional nos sistemas de saúde. Conforme mais médicos se tornem cientes com o valor destas terapias, elas irão tornar-se uma valiosa parte da prática médica tradicional.

Notas
1. Oliver, T.H. and Murphy, D.V., "Influenzal Pneumonia: The Intravenous Use of Hydrogen Peroxide", The Lancet, February 21, 1920, pp. 432-3.
2. Shallenberger, Frank, "Intravenous Ozone Therapy in HIVrelated
Disease" Proceedings: Fourth International Bio-Oxidative Medicine Conference, April 1993.
3. Farr, Charles H., letter to the author, February 4, 1994.
4. Shallenberger, Frank, letter to the author, December 9, 1993.
5. Oxidative Therapy, (Oklahoma City: IBOMF, n.d.)
6. Baggs, A.C., "Are Worry-Free Transfusions Just a Whiff of Ozone Away?" Canadian Medical Association Journal, (April 1, 1993) :1159
7. Shannon, Cmdr. Michael, letter to the author, 21 January, 1994.
8. Jacobs, Marie Theres, "Adverse Effects and Typical Complications in Ozone-Oxygen Therapy", Ozonachrichten, 1982: (1), pp. 193-201
9. Carpendale, M.T., Interview in Ozone and the Politics of Medicine (Vancouver, Threshold Film, 1993).
10.Alternative Medicine: Expanding Medical Horizons (Washington: U.S. Government Printing office, 1994) Nathaniel Altman é o autor de cerca de quinze livros sobre dieta e
saúde, incluindo Oxygen Healing Therapies, que foi publicado em Abril de 1995 pela Healing Arts Press, e distribuído no Canadá pela Alive Books. [ISBN: 0-89281-527-2, illustrated, 201 pp., trade paper, $12.95].

NATHANIEL ALTMAN

169 Prospect Park West Brooklyn, New York 11215 (718) 499-2384 fax (718) 499-3129

O Dr. Nathaniel Altman é considerado uma das maiores autoridades sobre as terapias de oxigênio na atualidade. A inclusão deste artigo era praticamente obrigatória neste livro sobre a Terapia Z. O artigo, como sabem, foi publicado há cerca de 14 anos atrás, em 1995. Não obstante, é particularmente atual mesmo porque poucas pessoas jamais ouviram falar sobre esta modalidade de terapias aqui no Brasil. Veja o produto: Água oxigenada P10.

Os aspectos importantes do artigo nos informam que existe pesquisa muito séria, embora não oficial, sendo empreendida sobre estas terapias, e o elevado número de CURAS sendo obtidas é espantoso. Mesmo em se tratando da sinistra AIDS, foram obtidos resultados fenomenais, em que vemos pacientes regredindo de HIV + para HIV -.
Eu tenho muito a lamentar por não ter conhecido estas modalidades de terapias antes, pois esta terrível doença levou muitos de meus amigos. Enfim, os atos de Deus, não compete aos homens julgar. Mas mesmo assim, considero lamentável esta informação não ter sido disponibilizada antes no Brasil.

Vimos também, que a taxa de reações colaterais adversas é praticamente ridícula, e amplamente inferior à de qualquer outra terapia médica.
__________

Cuide bem de você...
 http://cuidebemdevoce.com/orthomolecular-natural.php

Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...