domingo, 20 de outubro de 2013

OS REMÉDIOS COLOIDAIS E SEUS USOS





Se voltando agora para o uso dos líquidos coloidais na cura ou alívio de doenças, é importante perceber o simples papel desempenhado por seus agentes em tais diferentes líquidos. Na maioria dos remédios decididamente utilizados com êxito levando em conta suas propriedades coloidais o agente ativo é um metal, tal como a prata, paládio ou um elemento não metal como o iodo e o enxofre. Substâncias mais complexas como a quinina e a cocaína também tem sido utilizadas com sucesso em estado coloidal, porém não atingindo a mesma extensão dos elementos anteriormente citados. A razão é bastante simples, somente com um número limitado de pesquisadores é possível se proceder da maneira desejada obter resultados notáveis que se seguiram os elementos em um estado coloidal, naturalmente resultando na concentração da atenção nesses elementos.



A grande vantagem que os elementos coloidais possuem sobre seus componentes é a facilidade com que suas ações podem ser estudadas.



Se o sal ou outro componente é administrado existe sempre a possibilidade de ocorrer a hidrólise ou ionização da corrente sangüínea ou canal nutritivo, dessa forma desencadeando reações complexas nas quais elementos além dos investigados serão envolvidos. Por exemplo, o ferro pode ser utilizado na forma de carbono que é convertido em clorídrico no estômago e isto, em dissolução é hidrolisado , eventualmente formando hidróxido e clorídrico de ferro. Se o ferro fosse administrado como um elemento estas complicações seriam evitadas e o investigador teria muito mais precisão na hora de traçar suas conclusões.

Exceto na forma coloidal é impossível a utilização de elementos em seu estado ativo sem os demais elementos necessários para ocorrer sua solução.



Nenhum tipo de método foi ainda descoberto no qual haveria a redução de um elemento a um estado tão puro que eles permaneceriam em suspensão na água por meses sem que houvesse a tendência da deposição. O produto bruto obtido dos processos mais elaborados de trituração é destituído destas propriedades que dão às partículas coloidais seus valores terapêuticos.



O efeito da administração de certos elementos em estado coloidal em pessoas com condições patológicas é bastante interessante, parcialmente levando em conta a ausência de complicações que ocorrem quando o mesmo elemento é utilizado de outra forma.



Por exemplo o iodo e o mercúrio, como normalmente utilizados, são insatisfatórios por sua grande ação tóxica. Isto praticamente não ocorre quando estes elementos são utilizados na forma coloidal.



O fato notável de que a prata coloidal e o iodo não mancham a pele uma vez que as preparações farmacológicas da prata e do iodo são extremamente fortes é uma indicação avançada da impressionante diferença entre as soluções normalmente utilizadas e aquelas coloidais.



Amplamente como o aspecto coloidal do metal difere dos mesmos metais usualmente conhecidos e de seus sais, tal aspecto é notavelmente semelhante às enzimas que atuam nas bactérias.



A quantidade de metal coloidal produzido sob os experimentos é quase insignificante tornando seu efeito germinativo bastante satisfatório. Ainda mais impressionante são os resultados obtidos com a adição de solução coloidal propriamente preparada para uma inalação média, onde as bactérias são destruídas relativamente em um curto espaço de tempo - tem sido mostrado nas fotografias de pesquisas que existe uma maneira claramente infalível das potencialidades dos metais coloidais mesmo sob condições particularmente desfavoráveis para seu uso. Foi estimado que na zona morta, onde há maior concentração de metal coloidal, este não excede 25 partes por milhão de nutrientes aproximadamente.



A ação germicida de certos metais no estado coloidal tem sido demonstrada, apenas nos resta aplicá-la nos humanos; e isso tem sido feito com a obtenção de resultados impressionantes.



Não é sugerido que as formas de metais coloidais substituam os costumeiros desinfetantes de excreção, vasos de vários tipos e usos gerais; mas sim para a administração interna, tanto oral como hipodérmica possuindo a vantagem de serem rapidamente fatais para os parasitas - bactérias e outros - sem ação tóxica para o hospedeiro.



O problema com qualquer inovação no avanço da ciência médica é a suspeita que inicialmente é levantada  sobre o estabelecimento das relações de dor naqueles de visão mais centrada. Aderindo à sua atitude estruturada e na definição de programas de tratamento, a maioria dos físicos e cientistas são bastante cépticos no embasamento de qualquer mudança ou desafio às suas teorias e concepções.



A única elevação efetiva que irá substituir um tratamento já estabelecido e seus conceitos lógicos será a descoberta e publicação da verdade. A verdade por si só na ciência é considerada aquela que se pode repetir várias vezes e ser claramente vista sob diferentes condições de experimentos porque não somos iguais, cada pessoa irá reagir de uma forma à mesma coisa. Enquanto o escândalo permanece também é figurado como uma cara barreira entre uma boa idéia e a prova científica. Isto é para dizer que uma boa quantia de dinheiro pode ser gasta na utilização dessas pesquisas para a prova de uma nova verdade  e este dinheiro é quase todo arrecadado de doações dos cofres públicos. Durante toda esta demora, o ponto de vista e padrões de tratamento continuam a ser aqueles conhecidos e utilizados. Uma geração inteira ( ou duas) de médicos e cientistas pode se formar em suas carreiras com informações que vão contra a natureza e sua cura em um momento que a verdade é conhecida por apenas algumas pessoas corajosas.



Muitas idéias de cura natural sofreram o fato de serem casualmente esquecidas pela  boa reputação dos então chamados estudos científicos.



Resguardando a prova científica, informações reais foram evitadas de várias fontes pelo tempo que o intensivo exame científico era feita para determinar mais precisamente o significado e aplicação desta única descoberta que se aproximou do tratamento de doenças sérias.



Aqui existe um outro exemplo do problema. È agora estimado que uma em cada quatro mulheres irão desenvolver o câncer de mama ao longo da vida. Escutei de duas mulheres que diziam terem sido curadas do câncer de mama com a prata coloidal. Também, três homens com câncer de próstata que desapareceu e um com câncer nos rins. Todos eles foram diagnosticados através da biópsia. Após o diagnóstico eles tomaram diariamente grande quantidade de prata coloidal até o dia da cirurgia. Um utilizou-se do produto caseiro e outro do produto feito com a prata coloidal. Em todos os casos biópsia do tecido da mama retirada e dos nódulos linfáticos era câncer.



A questão é: a prata coloidal funcionará bem em todos os casos de câncer de mama? Provavelmente não, mas na atual conjuntura legal e política nunca saberemos. Nenhuma indústria farmacêutica pode controlar ou monopolizar os direitos da prata coloidal, portanto nenhuma irá financiar as pesquisas que atualmente podem custar alguns milhões de dólares e durar 10 anos.



TGA diz que se você alegar que a prata coloidal cura e isto quer dizer de um resfriado ao câncer, ela seria classificada como uma nova droga e o público não pode Ter acesso à novas drogas sem que elas sejam testadas.



Usando o modelo de TGA, iria custar uns 10 bilhões de dólares ao povo para provar ao TGA o que ele já sabe sobre a prata coloidal. Os políticos definitivamente se incluem neste quadro. TGA não quer ser exposto e forçado a ser um incentivador das indústrias de medicamentos e nem ser taxado de não agir em pró dos interesses do público.



Enquanto estas idéias não são novidades para alguns de nós, esta seria uma revelação inovadora para que grande porção da população passasse a pensar desta forma. TGA certamente gostaria de evitar este constrangimento das  relações públicas. A verdade é que o TGA nunca utilizou o dinheiro dos impostos na realização de nada importante ou publicou nenhuma de suas descobertas em benefício da população, especialmente quando algo tão poderoso, seguro e barato podia ser obtido e feito por ela mesmo. Obviamente, o enfraquecimento da população em ser auto  confiante e frugal com sua própria saúde não é de responsabilidade do TGA.



A prata coloidal possui claramente algumas capacidades extraordinárias e centenas de usos legítimos. Porém, sem padronização, controle de qualidade e extensos testes médicos, o público nunca saberá como melhor utilizar a prata coloidal em determinada situação.



O TGA possa tentar ainda restringir o acesso do público à prata coloidal alegando que ela não é segura, mesmo eles sabendo o quão segura e eficaz ela PODE SER quando utilizada de maneira correta. Na ausência dos dados deste teste autoritário, as pessoas são deixadas para procurarem e experimentarem as respostas.



Há a ameaça de uma briga sobre o acesso da população a prata coloidal porque o custo do cuidado com a saúde neste país é fora do comum e as pessoas estão buscando por soluções mais baratas que realmente funcionem. Desta forma, a prata coloidal poderia ser  aquilo que os médicos esperavam. Estudos de pesquisas feitas por Margaret Bayer, PhD, no Fox Chase Cancer Centre na Filadélfia, EUA, mostrou que o crescimento ea reprodução (expansão) da bactéria da Doença de Lyme (Borrélia burgdorferi espiroquetas) é medida lentamente ou impedida pela prata coloidal quando observada nos tubos de testes do laboratório.



William Burgdorfer,PhD. e Tom Schwan, Ph.D trabalham nos Laboratórios Moutain Rocky, Institutos Nacionais de Saúde, Serviço de Saúde Pública, Departamento americano de Saúde e Serviços Humanos. Em seus estudos de duas bactérias de borrélia B. Burgodorferi (causadora da Doença de Lyme) e B.hermisii (causadora da recaída febril) descobriram que misturando os tubos de ensaio com prata coloidal elas se encontravam uniformemente mortas.



Helen Buckly, PhD, Professora de Micro biologia e Imunologia na Escola Universitária Temple de Medicina, Filadélfia, Pensilvânia ,EUA; declarou que um tratamento secundário poderá estar disponível para os casos de síndrome do levedo tendo sido feito estudos com os tubos de ensaio para vários tipos de Cândida albicans (cadeia de fungos) e vários criptococus em correntes com neoformas.

Criptococose, uma infecção mortal causada por fungos é um grande problema para muitas pessoas que sofrem de AIDS (ou SIDA) (síndrome de imuno-deficiênciaadquirida). Em ambos os casos, a proliferação foi contida na exposição dos tubos emquantidades bastante pequenas da prata coloidal.


Prata Coloidal - As verdades ocultas - Dr. Keith F. Courtenay ( U.L.C, USA)



CUIDE BEM DE VOCÊ






1

Google + 1

Talvez se interesse:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Florais e Cia...